Estou errado ou estou ajudando?

Tem algumas coisas (sim, apesar de não parecer, são apenas algumas) que me irritam DEFINITIVAMENTE nessa vida. E não estou me referindo ao arranhado da parte de tras do meu MacBookPro…Essas coisas são bem piores, acredite.

Quer vencer?

Acabo de sair da faculdade e decido ir ao posto comprar alguma cerveja épica para degustação(isso é sério, a degustação de cervejas tornou-se um hobbie interessante para mim e tenho me dedicado, inclusive, ao estudo da cerveja e suas características nos meus SEGUNDOS VAGOS) e eis que, depois de escolher a minha Colorado Indica (escolhi ela por ser uma pale ale. Se você não sabe o que é uma Pale Ale, porfavor, google irá te ajudar 😉 ) quando ouço uma voz um tanto quanto….como posso descrever…é…hum…BEBADA. Segue a conversa:
– Meu senhor, o senhor não tem uma moedinha pra eu comprar alguma coisa pra comer, meu senhor?
– Cara, foi mal, to sem nada aqui
– Mas nem no carro, meu senhor?
– nem no carro, tô sem nada…

e saí andando, deixando o ser esbravejar la. Em outras ocasiões eu teria fuçado, pegado as moedinhas que eu TENHO e dado pro ser, que rezaria, mesmo que falsamente, aos céus para que Deus me abençoasse e bla bla bla. Mas hoje NÃO! NUNCA MAIS!

E o porque disso? Simples: EU SEI O QUANTO SUEI PARA COMPRAR MINHA CERVEJA! Bom, vamos nos ater a alguns fatos:

* Segundo a Bíblia Católica, Jesus fala que “quem não trabalha, não tem o direito de comer”, e sabe o que eu acho disso? Justo, muito justo. Analisando a sociedade e filosofando sobre o Mundo e as coisas que nos cercam vemos que as profissões tem um cunho religioso, um algo sagrado por trás da máquina voraz do capitalismo: Elas AJUDAM AO PRÓXIMO! Pegaremos como exemplo minhas profissões: Sou músico, profissão essa que, através de notas e poesias refletidas nelas, serve para levar uma palavra de conforto, experiência e sabedoria para todos aqueles que sofrem, que tem dores, males, dúvidas. Justo eu ganhar por isso? Justo. Ajudo a sociedade e a sociedade me ajuda, é simples. Outro exemplo? Sou professor de música e de Inglês, profissão esta que, mui nobremente, se encarrega de transmitir todo o conhecimento obtido pelo professor aos que o assistem, afim de formar novos pensadores, críticos, analistas e, porque não, professores? Justo eu ganhar por isso? Justo, muito justo. E por fim, mas não menos importante (longe disso) sou analista/programador de sistemas, profissão esta que ajuda a todas, pois através de meus conhecimentos facilito e automatizo processos para elevar a produtividade dos funcionários de uma empresa e assim fazer com que ela cresça podendo gerar mais lucro para si e para os funcionários, deixando todos felizes. Justo eu ganhar por isso? Poxa, se num for, me mato.

Ainda sobre espiritualidade, Budda (o primeiro, tido como Buda histórico) Dizia que “quem não trabalha, não tem o direito de comer”. Notou alguma semelhança? Eu notei várias…

Também não quero, de forma alguma, usar meu trabalho como escudo para ser “o perfeito”. Muito longe disso, sou apenas um rapas como outro qualquer, mas essas coisas me irritam muito…Bom, próximo fato:

* Enquanto ele falava comigo, eu escutava um barulho infernal de moedas balançando. Ele, na certa, já tinha dinheiro o suficiente para comprar a comida que ele queria. Poxa, 2 salgados são o suficiente, pelo menos, para forrar o estômago e dormir tranquilo, e isso sairia uns R$3…R$3,50…no máximo 4 reais, vai. Último fato:

*Já mencionado aqui antes, o ser parecia estar bêbado. Caraca, meu…Bêbado? Olha, tudo bem…alguns (assim como eu pensava antes) vão tentar me convencer de que mendigos (que esse cara nem parecia ser, tava com uma roupa até bem limpinha), bebem para esquecer seus inúmeros problemas. Ok, ok…por esse prisma, até que vocês PODEM, NO FUNDO, ter razão. Mas sou de opinião contrária. Vou demonstrar com mais alguns fatos:

* Silvio Santos tem grana? Tem né….Pois bem, não tinha e tampouco tinha o que comer. Pediu esmola alguma vez? Sim, uma única, até conseguir comprar uma CANETA e vender ela…assim comprando mais e mais e vendendo mais e mais CANETAS e pronto…suor e mais suor depois conseguiu o que tem hoje.

* Steve Jobs (R.I.P) era milionário né….Era nada. No começo, conforme ele mesmo disse em um discurso, tinha apenas 1 (UMA) refeição decente na SEMANA, em um templo hare krishna, e para isso ele tinha que andar MUITO, acreditem. Com suor sim, que se tornou quem era.

* Um determinado barbeiro de minha cidade natal, Orlândia, que não vou citar nome aqui, tem uma história parecida. Sem ter o que comer foi se virando até ter seu salão, seu carro, sua casa…

E então? Depois disso aí você ainda vai tentar tomar as dores do VAGABUNDO? Sim, VAGABUNDO, MALANDRO…Veja bem, não quero ser hipócrita, eu não tenho noção do quão difícil é viver nas ruas, mas…vem cá…da pra sair dessa, né? É a sua CRUZ, camarada. Cada um sofre de um jeito. TODOS NÓS SOFREMOS, sofremos de uma forma ou de outra. Se não por dinheiro, por amor…é o preço que temos que pagar.

Bom, vou parando por aqui, senão o post vira páginas e páginas. MAs dou um conselho: Não de esmola, existem órgãos para ajudar essas pessoas e elas nem interessadas estão. COmo diria Budda: “Não ilumine a quem não quer ser iluminado!”

Grande abraço, amigos 🙂

Anúncios

Definitivamente: Perdi a fé

cano

é, compulsivos desocupados leitores do meu blog. Definitivamente eu perdí a fé de uma vez por todas, e aqui eu deixo um questionamento devéras interessante: PORQUE QUE NESSA PORRA DE PAÍS NINGUÊM FAZ NADA DIREITO? Pois é, nem precisamos fazer muito esforço para que possamos ver matérias com algum furo em nossa economia, em nossos transportes, em nossa segurança e, principalmente, na nossa educação. O.K, concordo que, no caso da educação, é uma bola de neve que vêm girando ao longo dos anos e que, de certa forma, não só o governo e os professores são culpados. Conheço muitos professores que têm uma boa vontade ímpar, mas os alunos não fazem a mínima questão de aprender. Aliás, aprender pra que se depois eles podem tranquilamente aliviar a coçeira escrotal e receber uma bolsa por isso? Existem vários tipos de pessoas e posso afirmar que esse tipinho aí vive muito bem com pouco, ao contrário de nós, seres ambiciosos que queremos ter uma casa bonita, carro na garagem e, principalmente, condições para educar nossos filhos a ponto dos mesmos não fazerem uso da “bolsa coçada de saco”, “bolsa cigarro”, “bolsa vagabundo feliz” ou qualquer outro apelido que você quiser dar para o “bolsa familia”…DEPRIMENTE!

Vamos entender como tudo isso funciona aqui dentro da minha cabeça: O nosso presidente criou essa tal de bolsa para ajudar aos  pobres e necessitados. (PONTO). Acho isso muito digno, sério mesmo! Mas  acho que deveria ser adotado um critério mais rigoroso na avaliação de quem pode ou não receber a bolsa, e acho também que a mesma deveria ser algo TEMPORÁRIO, tipo uns 3 ou 4 meses, dando assim, subliminarmente aquele avisinho camarada: “ATÉ QUE VOCÊ ARRUME UM EMPREGO, TÁ AÍ A AJUDA DO GOVERNO…”. Mas peralá! Já não tem um tal de “SEGURO DESEMPREGO” que garante isso? É, acho que tem sim….Aliás, tem mesmo! Bom, aí podemos encarar a bolsa de duas formas:

1- Um complemento para o seguro.

2- Uma redundância.

Acreditem em qual das duas vocês quiserem, eu fico com a segunda opção, mas isso não vem ao caso aqui.

O fato é que, recebendo essa bolsa pro resto da vida (como acontece), o carinha em questão não vai nem se preocupar em arranjar um emprego para melhorar de vida e ter dignidade, pois o mesmo já se acostumou a viver em sua casa de reboco, fumar seu cigarrinho LUCKY STIKE, mandar os filhos calarem a boca, coçar bastante o saco, fazer mais filhos, reclamar de tudo, jogar bola com o vizinho, dormir, fazer mais filhos denovo, dormir denovo, ver T.V denovo, fazer mais filhos enquanto vê TV e manda os outros calarem a boca, etc, etc…

Claro que TODA REGRA TEM SUA EXCESSÃO, e se você é uma dessas, meus mais sinceros parabéns, pois sei de gente que não tinha nem o que comer direito e hoje é algum tipo de fazendeiro depois de ter se aposentado como super-empresário (não estou exagerando, tenho mais de um caso desses na família), ou seja, não importa se você é rico ou pobre. Com força de vontade, tudo conseguimos!

Mas, deixemos um pouco a bolsa vagal de lado. O motivo real de meu retorno a esse blog é falar um pouco sobre o que está acontecendo aqui em minha cidade nesses dois dias (ontem e hoje hahahaha). Aliás, que eu me lembre, isso acontece com MUITA FREQUÊNCIA (eu juro que ia colocar trema nesse “U”, mas como nossa lingua vive mudando, nem me dei ao trabalho, mas sei que o trema vai voltar a ser usado numa futura reforma, daqui a uns 3 meses!): ACABOU A MALDITA DA ÁGUAAAAAAAA!! Não, é uma pouca-vergonha, vivem falando que não tem agua porque o encanamento é antigo, aí eles rasgam a rua e trocam o encanamento. Daí a uns 3 dias acaba a água denovo e novamente o povo da prefeitura fala que acabou a água porque o encanamento é antigo…Mais uma vez rasgam a rua e trocam o encanamento, e assim sucessivamente desde o maldito dia em que eu criei algum tipo de memória. E dessa vez, qual a discupa? O motor que bombeia a água é antigo ¬¬

Sinceramente?

VÃO INGERIR EM SUAS DEVIDAS CAVIDADES ANAIS, SEUS PROGÊNITOS DE MULERES DE VIDA FÁCIL!

fuuuii

P.S: Eu adoraria poder tomar um banho, mas acho que vou ter que ir para Batatais (cidade vizinha onde possuo um apartamento) para fazer tal ato “sublime”.

P.S2: NÃO VAI MAIS TER AQUELA FRESCURA DE “CLIQUE AQUI E LEIA ESSA PORRA COMPLETA”, enxi o saco…A matéria tá toda aí em cima (será que com a reforma ortográfica eu consegui acertar os acentos dessa frase??)

P.S3: O link para comentários está logo aí em baixo!